Na Ásia, muitas dificuldades, crimes e pouca informação (4/7)

Emirados Árabes Unidos

Pacotes governamentais aprovaram medidas para diminuir o impacto da pandemia em setores da sociedade como varejistas, hotéis e pequenas empresas. Também criram um desconto de 20% e alogamento dos pagamentos por 6 meses, desde o mês de abril, das taxas de água e eletricidade.

Turquia e Síria

Vivendo processos bélicos e dramas com imigrações, a organização internacional Human Rights Watching afirma que os respectivos governos não estão tomando as medidas de proteção necessárias à contenção da pandemia, indo além e intensificando as agressões à garantia de direitos humanos.

Na região de Allouk são denunciados casos de corte no abastecimento de água potável para populações e acampamentos de vulneráveis.

A atuação do governo turco está comprometendo ainda mais a capacidade de atuação das organizações e agências humanitárias na proteção básica à pandemia no norte da Síria.

Jordânia

Tido como o quinto país mais vulnerável em questões hídricas do mundo, além da escassez de águas há extensas preocupações com o impacto do comércio global dada a pandemia, agravando ainda mais o cenário de dificuldades do país

Irã

O governo do Irã anunciou o início de 38 projetos de eletricidade e águas nos próximos 3 meses, em 15 províncias, com o investimento de aproximadamente 400 milhões de dólares em obras, muitas delas hídricas e de saneamento.

Bahrein

O governo anunciou que pagará as faturas de água dos cidadãos de todo o ano de 2020, no valor equivalente aos gastos do período de 2019.

Veja mais:

https://ideas4development.org/en/covid-19-in-china-patient-zero/

https://www.hrw.org/news/2020/03/31/turkey/syria-weaponizing-water-global-pandemic

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Na Oceania a Australia, do fogo à pandemia (3/7)

Europa, o epicentro e desafios insurgentes à resiliência (5/7)